Um livro sobre uma geração

Em 2000 eu peguei o primeiro livro do Harry Potter para ler. Eu faria 11 anos na época, a mesma idade do protagonista. O segundo e o terceiro livros já haviam sido lançados e o quarto chegaria apenas no ano seguinte. O quinto, sexto e sétimo demoraram um pouco mais, o que fez com que, no final, a idade do Harry coincidisse com a minha.

Eu acompanhei a história ao longo de sete anos. Eu e milhões de fãs espalhados pelo mundo inteiro. Eu frequentava as comunidades do Orkut para especular o aconteceria no livro seguinte, discutia com as pessoas as possíveis teorias e me socializava com uma galera que também viveu esse momento na história da literatura.

Sim, porque o lançamento dos sete livros impactou diretamente o panorama da literatura mundial e isso não dá para negar. Desde o final da série que as editoras buscam o novo Harry Potter sem sucesso. A literatura fantástica entrou em foco outra vez. Um sem número de leitores acabou sendo formado porque começou lendo A Pedra Filosofal e não parou mais.

Harry Potter foi um livro que caracterizou a geração 00 assim como Star Wars foi o filme da geração de 70/80. Agora é muito cedo para falar qualquer coisa, porque aqui a gente precisa de um distanciamento histórico. Então só saberemos o real impacto de Harry na cultura quando essa geração que viveu com os livros começar a chegar de fato no mercado de trabalho. E mais, quando ela começar a ocupar os cargos de liderança.

As pessoas nascidas na segunda metade da década de 80 e no início da de 90 tiveram a experiência com os livros potencializada. São essas pessoas principalmente que levarão o legado dos livros para frente, e eu me incluo nessa categoria. É por isso que Harry Potter é, no fim de tudo, uma série sobre uma geração inteira de jovens.

Valeu galera. De coração – Retirado deste Deviantart