Tenho que confessar uma coisa pra vocês. Lá pro meio de dezembro, o Boninho me ligou e implorou pra que eu participasse do BBB 13, que ele cismava em chamar de BBB Crazy. Achei barango e recusei. Ele insistiu, disse que meu perfil era excelente pro programa, que eu faria sucesso com as galinhas de todo o Brasil e seria famoso. Nem isso foi suficiente pra me convencer.

Mas antes que vocês me xinguem, deixa eu apresentar meus argumentos. Se tem uma coisa que me dá mais pânico do que a galinha gorda com celulite é ficar confinado o tempo todo, em um só lugar. Nem ligo pras câmeras me vigiando. Ia até gostar, acho. O problema realmente é ficar preso. Não que eu tenha ficha suja na polícia. Longe de mim. É por instinto de sobrevivência mesmo.

Tudo culpa do tal do Darwin e da teoria maluca da evolução que ele inventou. Não prestei muita atenção nas aulas de História Franga (entenda-se, dormi em todas), mas quando nossa espécie dava os primeiros cocoricós pela Terra, parece que os seres humanos descobriram como éramos gostosos e dóceis. Foi então que eles nos aprisionaram em gaiolas e passaram a se alimentar da gente.

Quanto mais apertado era o espaço de confinamento, maior era a certeza de que morreríamos rápido. Pensa comigo: Como você não consegue andar direito, não tem nada para fazer e o tempo passa bem mais devagar. Sem televisão e sem galinhas por perto pra fazer sexo, a única alternativa possível é comer bastante.

Se você é capaz de somar dois mais dois, percebeu que nos aprisionar significa engordar bastante e, como consequência, morrer mais rápido. Logo eu, que tenho aversão a gordura e comecei semana passada o projeto Verão Sarado 2014. Vê se eu deixaria o Boninho me prender para o Brasil inteiro ver o quanto eu engordaria durante o confinamento.

A tensão ia ser maior ainda quando fosse dia de paredão. Imagina eu, já gordinho, sendo eliminado do programa. Certeza que o Bial me esperaria do lado de fora com uma panela pronta para fazer a canja. Ou o Vinicius Valverde ia me colocar no forno durante a entrevista pós-eliminação. Já basta o medo que tenho do olho de vidro dele.

Além disso, me colocar em uma casa cheia de gostosas é pedir para entrar em colapso. Tento ter alguma coisa (a.k.a. sexo) com a galinha gostosa do poleiro de cima há tantos anos e nunca consegui nada. Uma casa cheia delas é pedir pra mostrar a minha incapacidade pro Brasil todo. Não estou disposto a ser ridicularizado em rede nacional, já basta aqui no galinheiro. Isso sem contar que o granjeiro podia, por acaso, assistir e descobrir que sou uma farsa. Se eu saísse vivo da casa, o que é uma hipótese bem remota, tenho certeza que não chegaria inteiro no poleiro.

Ah, quase esqueci de falar no prêmio de um milhão e meio. Já não suporto sentir nem o cheiro de um milho normal, imagina de um milhão, cozido e com manteiga? Nojo dessa bolota amarela asquerosa. Então desculpa Bial, desculpa Brasil. Eu voto contra a minha entrada no BBB por uma questão de falta de afinidade com o programa, sabe?

Começou a escrever em 2008 para fugir de uma rotina massante no galinheiro e descobriu que era bom naquilo. Ou pelo menos achava que era, já que nunca conseguiu dar nenhum beijo na boca por seus textos. Dizem por aí que continua virgem, mas ele nega.