Querido Papai Noel,

Fui dormir apreensivo na véspera do Natal passado. Não queria acordar e encontrar uma árvore vazia, sem nada que te pedi na última carta. A dor seria enorme, ainda mais porque finalmente acertamos como funciona a nossa amizade: eu te chantageio e você me dá presentes. Simples assim. A julgar pelos jogos de PS4 que você deixou aqui, seu cu ainda tá travadíssimo. Aposto que não passa nem wi-fi. Mas pode ficar tranquilo, não pretendo “vazar” nenhum vídeo seu este ano.

Aliás, como ainda preciso garantir meu presente deste ano, não vou prometer nada. Vai depender do seu comportamento. Isso mesmo, parece que a situação se inverteu! Por anos você me ignorou, disse que eu não era um bom franguinho e não me deu presentes. Agora é a minha vez de te julgar.

Como você já sabe, tenho um vídeo seu fazendo safadezas com a Mamãe Noel e outro de uma orgia com duendes. Só isso seria suficiente pra destruir sua reputação, mas decidi ir mais a fundo. Durante este ano, investi parte do meu dinheiro pra descobrir seus segredos ocultos. E se as pessoas soubesses o que acontece no Polo Norte, ficariam enojadas.

Vamos começar com a parte financeira. Sempre fiquei encucado sobre como o senhor produzia tantos brinquedos sem ter dinheiro para isso. De onde vem a matéria-prima? Ele compra de quem? A quem interessa influenciar tantas crianças no mundo inteiro? A princípio achei que você usava o cachê da Coca Cola, que não é baixo (tive acesso aos comprovantes de pagamento e sete dígitos é um exagero). “Ele deve ser um bom velhinho mesmo“, pensei. Sou muito inocente.

Após meses de investigação profunda, descobri offshores em nome de duendes de confiança que trabalham com o senhor. Também cheguei a umas contas em Liechtenstein no nome do Rudolph. Conversa vai, conversa vem, nenhum dos responsáveis disse ter conhecimento sobre os valores depositados. A única pessoa com autorização pra movimentar as contas é um tal de Opia ‘Pa Nel. Qualquer imbecil vê que isso é um acróstico do seu nome. Levei umas fotos do senhor e me confirmaram que eram a mesma pessoa.

Pronto, não havia mais dúvidas de que você tava desviando dinheiro. Mas de onde ele vem? Conseguir essa resposta me deu mais trabalho, confesso, mas ganhei uma mãozinha acidental do Buzzfeed. Eles fizeram um post sobre “9 boas ações para fazer durante o ano todo” e, no meio dele, informava que a empresa Noel Inc. recebia doações pra deixar o Natal das criancinhas mais feliz. Essa é uma ONG legalizada, em seu nome. Todo mundo sabe disso. O que ninguém conseguiu até hoje provar é o esquema usado pra encobrir o desvio de dinheiro. Eu consegui. Nem todas as doações são encaminhadas pra sua empresa principal e isso ficou bem claro quando comparei as declarações de quem doou com o valor disponibilizado no balanço financeiro da sua ONG. Bingo! Consegui umas provas aí, mas não preciso entrar em detalhes. A parte do dinheiro tava desvendada.

Outro ponto que sempre me deixou encucado foi a questão dos duendes. Se eles moram no Polo Norte durante o ano inteiro, qual o regime de trabalho? As crianças começam a fazer os pedidos em dezembro, então é preciso montar um baita esquema de produção pra tudo ficar pronto a tempo. Eles recebem horas extras? Direitos trabalhistas? Era óbvio que eles trabalham em regime escravo, mas eu precisava provar.

Vou manter minhas fontes anônimas, mas muitas me disseram que você seduz os duendes com a promessa do emprego dos sonhos e, quando eles chegam à sua casa, começa a cobrar tudo deles. Viagem, moradia, alimentação, roupas de frio, taxa pra respirar. Tudo se acumula e eles ficam com uma dívida enorme, que precisa ser saldada durante a época do Natal. Eles trabalham em regime de escravidão e ninguém dá bola pra isso. Olhando de fora, parece que vocês são amiguinhos. Mas eles te odeiam. Aguardo ansioso o dia que eles vão fazer uma revolta, cortar sua cabeça e dar o resto do corpo pra os ursos polares comerem.

Também fiz uma investigação aprofundada sobre maus tratos a animais, ocupação ilegal de terras no Polo Norte, atentado ao pudor contra crianças e uso de roupas barangas. Todos são crimes (exceto a roupa, mas ninguém de bom senso usa roupa vermelha com fru fru na manga) e tenho provas que te condenam em todos eles. Não vou ficar exibindo cada uma delas aqui, você sabe que seu esquema é todo ilegal. Não precisa mais fingir. Antes ninguém tinha noção do quão podre era seu reino, mas agora eu descobri. Tô com um texto denúncia prontinho pra mídia, mas você ainda pode evitar que isso aconteça.

“Como?”, você me pergunta. É simples. Esse ano não quero presentes muito caros não, quero apenas um Nintendo Switch e uns joguinhos. Isso é fácil pra você (inclusive tenho que olhar qual o seu esquema de contrabando, não é possível você trazer muamba do exterior e não ficar preso em Curitiba por meses). O que quero mesmo é que você legalize esses seus trambiques aí, principalmente a questão dos duendes. Eles me ajudaram bastante nessa investigação e não posso deixar eles na mão. Se resolver pelo menos esse problema, já deixo quieto por esse ano e conversamos de novo no Natal que vem, combinados?

São os votos carinhosos do Frango!

P.S.: Se puder trazer o WhatsApp de uma galinha gostosa, também vou te agradecer. Sabe como é, tô bem na seca e queria começar 2018 bem. Obrigado.

Começou a escrever em 2008 para fugir de uma rotina massante no galinheiro e descobriu que era bom naquilo. Ou pelo menos achava que era, já que nunca conseguiu dar nenhum beijo na boca por seus textos. Dizem por aí que continua virgem, mas ele nega.