Para manter as tradições deste blog, começam hoje as retrospectivas e listas de melhores do ano.

O primeiro dia é dedicado aos filmes. Minha meta de ver pelo menos um por semana vai muito bem, obrigado. Quando escrevi este post, já tinha assistido a 77. Aliás, o projeto 5/década me possibilitou dar uma volta completa pela história do cinema e foi uma experiência única! Pretendo repetir em breve.

Antes de começar a lista deste ano, acho bom deixar uma coisa clara: este ranking é pessoal, com filmes que assisti este ano e curti muito. Ou seja, nem todos foram lançados em 2016. Veja os vencedores dos anos passados:

2010: Empate entre Toy Story 3 e Onde vivem os monstros
2011ABC do amor
2012O ano em que meus pais saíram de férias
2013: 3º: As vantagens de ser invisível / 2º: Trilogia “Before…” / 1º: Princesa Mononoke
2014: 3º: O gigante de ferro / 2º: Taxi Driver / 1º: Réquiem para um sonho
2015: 3º: Whiplash / 2º: Ela / 1º: Divertida Mente

2016
O 5/década me fez assistir a tantos filmes fodas que montar o ranking deste ano foi quase impossível. Tinha certeza sobre quem seria o 1º colocado, mas as outras posições poderiam ser ocupadas por qualquer um. Como deixar de fora Doutor Fantástico, A primeira noite de um homem ou A noite dos mortos vivos? E olha que isso foi só o saldo de janeiro.

O tour pela história do cinema passou pelos anos 1960 e chegou até 1900. Obras essenciais para a formação, como Viagem à lua e O grande roubo de trem. Grandes clássicos, como Lawrence da ArábiaBen-HurOs sete samuraisE o vento levouAs vinhas da ira e Metropolis. O cinema em sua essência mais pura, como os três filmes do Chaplin: O garotoTempos modernos e Luzes da cidade.

Foram tantos filmes do Hitchcock que foi até difícil escolher os favoritos. Deixei Um corpo que cai, Disque M para matar, Os pássaros e Rebecca de fora, por exemplo. Passei por trilogias fodas como a das Cores (A liberdade é azul, A igualdade é branca e A fraternidade é vermelha) e a da Vingança (Mr. Vingança, Oldboy e Lady Vingança). Porém nada chegou perto do que Sergio Leone construiu na trilogia do dólar (Por um punhado de dólares, Por uns dólares a mais e Três homens em conflito).

Fui ao cinema apenas cinco vezes este ano, mas saí satisfeito em todas elas. Peanuts renovou meu amor pela turma do Charlie Brown e foi uma baita apresentação dos personagens para as crianças. A sessão de O menino e o mundo me deu a sensação de ter visto algo maravilhoso. Procurando Dory não é tão incrível quanto o antecessor, mas faz bem o papel de divertir. O roubo dos planos da construção da Estrela da Morte ganharam contornos épicos em Rogue One. E o melhor de todos foi Animais fantásticos e onde habitam, que matou minha saudade do universo de Harry Potter e deixou aquele gostinho de quero mais.

Mas para entrar no meu ranking, o filme precisa mexer comigo de alguma forma. Spotlight renovou minha fé no jornalismo e me deixou triste pelo seu estado atual. Fantasia sempre me mostra o quão megalomaníaco Walt Disney foi. Zootopia levanta temas tão importantes que mereceu todo destaque recebido. Nunca me senti tão burro quanto assistindo a A grande aposta. Quando mergulhei no western, encontrei o ouro em Bravura Indômita e Era uma vez no oeste. Os efeitos da guerra no psicológico dos combatentes quase me fez considerar Os melhores anos de nossas vidas. O pódio esteve próximo mesmo é de Os reis do verão, um daqueles filmes simples e que ganham completamente meu coração pela história de amizade contada.

Dito isso, vamos à lista de 2016.

3º lugar
Assistir a filmes do Hitchcock e não colocá-los na lista de melhores do ano é uma heresia. Escolhi dois para compor esse pódio: Festim diabólico e Janela indiscreta. Eles têm uma semelhança incrível: o espaço físico limitado para contar a história. Se no primeiro foi simulado um enorme plano sequência dentro de um apartamento, no segundo temos um personagem preso na cadeira de rodas e toda uma vizinhança para observar.

A tensão é criada nos mínimos detalhes. A fala de um dos personagens, a atitude do outro. O tédio provocado pelo ferimento na perna. A paranoia constante que só contribui para que os dois sejam maravilhosos, cada um a sua maneira.

2º lugar
Tenho um fraco por histórias que envolvem jornalismo. Apesar dos altos e baixos (com ênfase nos baixos) momentos que a profissão vive, é o que escolhi para fazer da vida e sou apaixonado por isso. Quando o cinema decide contar uma boa história sobre a profissão, é fácil eu me apaixonar na hora. Foi o que aconteceu com Todos os homens do presidente.

Da mesma forma que Spotlight mostrou a dificuldade de apuração em um caso espinhento, aqui temos o o famoso caso Watergate, um escândalo que envolveu o governo dos Estados Unidos e levou à queda do Nixon. Um tempo pré-internet, em que os repórteres precisavam estar nas ruas atrás da notícia. Com uma história tão incrível que precisava ser checada, rechecada e checada mais uma vez. As dificuldades e prazeres da profissão estão todos ali, de forma espetacular. Um puta filme sobre um dos maiores casos jornalísticos da história.

1º lugar
Esta era a minha única certeza absoluta na lista. Quando assisti 12 homens e uma sentença, fiquei com a sensação não de ter visto o melhor filme do ano, mas sim um dos melhores da minha vida. Não consigo precisar para vocês o que mais me agradou ali. Os personagens são interessantes, o roteiro é muito bem amarrado e as atuações são incríveis. Mas não é isso o principal. É o conjunto que me ganha.

Quando os 12 homens do júri se reúnem para decidir se o réu é culpado ou não, passamos a acompanhar a angústia de cada um deles. As convicções vão caindo uma por uma. As dúvidas são plantadas na cabeça de todos. Tudo sem precisar sair de dentro de uma sala. É genial.

Todos os filmes assistidos
04/01: Straight Outta Compton – A história do N.W.A. (2015)
14/01: Snoopy & Charlie Brown – Peanuts, o filme (2015)
19/01: O sol é para todos (1962)
20/01: A primeira noite de um homem (1967)
20/01: A noite dos mortos-vivos (1968)
22/01: Dr Fantástico (ou Como aprendi a parar de me preocupar e amar a bomba) (1964)
25/01: Easy Riders – Sem destino (1969)
01/02: O bebê de Rosemary (1968)
03/02: Lawrence da Arábia (1962)
05/02: Os reis do verão (2013)
13/02: 12 homens e uma sentença (1957)
22/02: Juventude transviada (1955)
24/02: O menino e o mundo (2015)
28/02: Ben-Hur (1959)
28/02: Os sete samurais (1954)
01/03: Sindicato de ladrões (1954)
01/03: Um corpo que cai (1958)
15/04: Segurando as pontas (2008)
19/04: Gilda (1946)
20/04: Peixe grande e suas histórias maravilhosas (2003)
21/04: O falcão maltês / Relíquias macabras (1941)
22/04: Festim diabólico (1948)
22/04: Os melhores anos de nossas vidas (1946)
23/04: As vinhas da ira (1940)
23/04: Fantasia (1940)
01/05: O nevoeiro (2007)
18/06: Luzes da cidade (1931)
18/06: Tempos modernos (1936)
18/06: Dracula (1931)
27/06: Aconteceu naquela noite (1934)
28/06: E o vento levou… (1939)
29/06: M, o vampiro de Dusseldorf (1931)
01/07: Amizades improváveis (2016)
07/07: O bom dinossauro (2015)
07/07: Zootopia (2016)
08/07: Procurando Dory (2016)
09/07: Metropolis (1927)
18/08: Um cão andaluz (1929)
18/08: Asas (1927)
18/08: O cantor de jazz (1927)
19/08: Nosferatu (1922)
19/08: O garoto (1921)
19/08: Viagem à lua (1902)
19/08: O grande roubo do trem (1903)
20/08: O gabinete do doutor Caligari (1920)
20/08: Lírio partido (1919)
20/08: 20.000 léguas submarinas (1916)
21/08: A liberdade é azul (1993)
22/08: A igualdade é branca (1994)
23/08: A fraternidade é vermelha (1994)
26/08: Mr. Vingança (2002)
26/08: Oldboy (2003)
27/08: Lady Vingança (2005)
01/09: Por um punhado de dólares (1964)
02/09: Trainspotting – Sem limites (1996)
04/09: Por uns dólares a mais (1965)
11/09: Três homens em conflito (1966)
12/09: A grande aposta (2015)
14/09: Rebecca, a mulher inesquecível (1940)
14/09: Interlúdio (1946)
15/09: Janela indiscreta (1954)
16/09: Disque M para matar (1954)
16/09: Intriga internacional (1959)
17/09: Os pássaros (1963)
30/09: Todos os homens do presidente (1976)
01/10: Spotlight: Segredos Revelados (2015)
06/11: Ele está de volta (2015)
22/11: Animais fantásticos e onde habitam (2016)
05/12: Rastros de ódio (1956)
09/12: Sete homens e um destino (1960)
10/12: Bravura indômita (1969)
11/12: Era uma vez no oeste (1968)
11/12: Bravura indômita (2010)
16/12: Rogue One (2016)
17/12: O assassinato de Jesse James pelo covarde Robert Ford (2007)
17/12: Os imperdoáveis (1992)
18/12: Pom Poko: A grande batalha dos guaxinins (1994)
31/12: Um cadáver para sobreviver (2016)

Comecei a vida dentro de um laboratório de química, mas não encontrei muitas palavras dentro dos béqueres e erlenmeyers. Fui para o jornalismo em busca de histórias para contar. Elas surgem a cada dia, mas ainda não são minhas. Espero que um dia sejam.