Nunca pensei que ficar de vigia fosse tão divertido. Quando aquele velho caquético me passou a função, fiquei nervoso. Passei a primeira semana maldizendo esse trabalho, mas depois que descobri o que pode ser feito daqui de cima, minha vida mudou.

O telhado oferece uma visão panorâmica do galinheiro inteiro. Consigo ver os poleiros, as incubadoras, a porteira de entrada, o açude. Enfim, dá para ver tudo. E ninguém consegue imaginar o que vi. Desde a galinha mais santa até a mais safada, de banalidades a assuntos polêmicos. Tô pensando até em montar um blog e vou assinar como Gossip Chicken.

Não quer fazer fofoca, mas a minha primeira vítima já foi escolhida. É claro que foi aquele velho caquético. Ninguém mandou ele me colocar aqui em cima. Ou melhor, ninguém mandou ele ficar olhando sites de galinhas nuas virado para a janela. O pior é o que ele faz no MSN. Aposto que ele já caiu nas garras de alguma aproveitadora e tem vídeos dele na internet.

Eu é que não quero ficar procurando isso. Mas se alguma leitora conseguir encontrar, pode me mandar que posto no blog que eu vou criar, com uma tag de +65. Só não me peçam para conferir o vídeo, sinto nojo só de pensar. Podia era aparecer o de alguma galinha gostosa brincando na webcam. Isso sim ia ser bom.

Aliás, falando em galinha gostosa, eu tinha ficado muito animado com a possibilidade de ver dentro do banheiro daquela gostosa do poleiro de cima. O foda é que ela é cuidadosa com a janela. Fecha a cortina todas as vezes que entra para tomar banho. O máximo que consegui ver foi a silhueta dela. E que silhueta!

Outra coisa interessante que vi foi uma galinha d’angola se agarrando com uma galinha de pescoço pelado (muito feia, por sinal). Não é todo dia que você consegue presenciar duas galinhas fazendo isso em público. É uma das fantasias da maioria dos galos.

No dia seguinte, achei uma janela de banheiro que era promissora e fiquei olhando. É nessas horas que Murphy resolve brincar comigo. A janela era do poleiro daquela gorda celulítica. Ninguém consegue imaginar o meu pavor quando aquela infeliz apareceu, nua, rebolando para a janela. Foi a visão do inferno. Quase vomitei o pouco de comida que eu tinha comido durante o dia. É a pior coisa que poderia ter acontecido comigo. Aposto que ela estava me monitorando, sabia que eu estava olhando para a janela dela e apareceu pelada.

Argh, tô enjoado até hoje. Amanhã mesmo imploro para que eu saia desse posto.

Vou desativar meu antigo blog, o “Memórias de um frango”. Para isso, vou resgatar as crônicas que estavam postadas lá, dar uma repaginada e trazer para cá. Tem um detalhe do texto que revela o que eu estava fazendo quando escrevi esta crônica. Inventei de assistir Gossip Girl e, durante o suplício que foi assistir à primeira temporada, tive a ideia. Além disso, era raro eu continuar uma crônica e, dessa vez, fiz isso.

Começou a escrever em 2008 para fugir de uma rotina massante no galinheiro e descobriu que era bom naquilo. Ou pelo menos achava que era, já que nunca conseguiu dar nenhum beijo na boca por seus textos. Dizem por aí que continua virgem, mas ele nega.