3:00 horas da manhã e ainda estou acordado. Alguém podia avisar pro meu cérebro que a gente tem que dormir? Amanhã temos que levantar antes do sol pensar em nascer para acordar todas essas galinhas folgadas.

Espera, eu falei amanhã? Desculpe, é a força do hábito. Sei que o dia já mudou, mas pra mim isso só acontece quando durmo. Como dormir é uma coisa sagrada, garanto que meu calendário está sempre correto.

Fato é que estou acordado até agora. Tudo bem que nas últimas horas bebi quase uma garrafa inteira de café e terminei com meio litro de Coca Cola que estava na geladeira. Talvez tenha sido esse o motivo. Agora estou um pouco elétrico. Sentei no poleiro para tentar dormir, mas não consegui parar quieto. Vim para o computador ver se isso alivia, mas não funcionou. Liguei a TV, mas parece que o caminhão de lixo deixou sua carga na programação.

Não vou ficar assistindo a programas evangélicos que exorcizam o demônio. Nem vou assistir filminhos de ação genéricos. Quero algo movimentado, igual a TV que passa propagandas. Acho empolgante ver um anuncio de torradeira, mesmo sabendo que nunca vou usar uma em toda a minha vida. As propagandas são tão felizes, com tantos brindes. Nelas tudo dá certo, todos os frangos são bombados e as galinhas são muito gostosas.

Por causa dessas insônias da vida, até cheguei a comprar um daqueles aparelhos de fazer abdominais. Se fiz umas quatro vezes foi muito. Até hoje ele está parado lá nos fundos do galinheiro. Acho que devia fazer uma doação e já sei pra quem vai ser.

Há séculos aquela maldita gorda com celulite está precisando tomar uma atitude na vida. Será que se eu der o aparelho para ela, a idiota vai interpretar como uma cantada e vai tentar emagrecer? Se for fazer isso, vai ser uma caso a ser comemorado.

Calma, mudei o foco da discussão sem querer. Onde eu estava mesmo? Ah sim, nos soníferos. Estou até pensando em pegar alguns para tomar agora e ver se resolve. Se conseguir dormir nem que seja meia hora, já terá valido a pena. Enquanto isso, assisto TV.

Ah, espera, passou uma promoção ótima de sanduicheira/torradeira/preparador de carnes e multiuso lançamento das redes Polishop. Vou ter que ligar para lá agora. Desculpem minha saída repentina, mas tenho que resolver meu problema de insônia de algum jeito.

Vou desativar meu antigo blog, o “Memórias de um frango”. Para isso, vou resgatar as crônicas que estavam postadas lá, dar uma repaginada e trazer para cá. Ao contrário do que prega o texto, escrevi quando estava com muito sono. Foi em um domingo à noite, escrevi apenas para espairecer e tirar a ideia da minha cabeça. Me lembro que tive uma ótima noite de sono depois disso.

Começou a escrever em 2008 para fugir de uma rotina massante no galinheiro e descobriu que era bom naquilo. Ou pelo menos achava que era, já que nunca conseguiu dar nenhum beijo na boca por seus textos. Dizem por aí que continua virgem, mas ele nega.