Galinheiro, 11 de março de 2009

Caro dono desse troço,

Escrevo esta carta em nome de todo o galinheiro. Estamos preocupados com a sua ausência. Faz mais de uma semana que você não aparece por aqui. E você sabe o que isso significa? Estamos com fome, sede e carentes de atenção.

Você acha certo deixar pobres animais como nós sofrendo? Isso é crime, sabia? Estávamos quase ligando pro IBAMA para te denunciar, mas pensamos duas vezes e resolvemos mandar essa carta antes.

Os leitores estão começando a ficar preocupados. Sim, nós temos leitores. Pessoas que entram e perguntam o que está acontecendo, porque não estamos aparecendo com frequência, porque o galinheiro está tão jogado às moscas. E sabe o que a gente responde a eles? Nada, afinal o único que tem a senha desse espaço aqui é você. Eles vêm aqui e a gente fica tentando inventar desculpas para a falta de posts. Mas saiba que isso é tudo culpa sua.

Nós também entendemos que você foi idiota o suficiente para se envolver em muito trabalho. Sabemos que você sai daqui da fazenda cedo e só chega à noite, mas isso não é desculpa. Se você quis abraçar o mundo, o problema não é nosso. Assuma seus compromissos feitos conosco e venha aqui mais vezes.

Aliás, se não aguenta é só apertar o botão vermelho e pedir para sair. Isso mesmo! Estou mandando você desistir de alguma coisa enquanto ainda dá tempo. Uma faculdade diurna, dois blogs (por enquanto), dois estágios. Isso ainda vai te matar.

Quando a gente te manda sair, é para o seu bem. Estamos realmente preocupados. Até aquela gorda com celulite resolveu não ficar no meu pé e começou a se encher de preocupações. Olha a que ponto chegamos! Então queremos saber: você vai manter esse troço atualizado ou vai continuar na mesma? Se for manter o estilo de vida, então eu vou aceitar a proposta que me fizeram da Record e vou estrelar a próxima temporada dos Mutantes. Com certeza vai ser melhor que ficar aqui de bobeira!

Um abraço de sua criação,
O Frango (em nome de todo o galinheiro)

Vou desativar meu antigo blog, o “Memórias de um frango”. Para isso, vou resgatar as crônicas que estavam postadas lá, dar uma repaginada e trazer para cá. Era apenas março de 2009 quando postei essa crônica me xingando. Pobre inocente, mal sabia que todos os problemas que eu relatei só piorariam com o passar dos meses. A carta foi uma forma de dar satisfação aos leitores (sim, eu tinha leitores fiéis a essa altura) e me dar um chacoalhão. Olhando para trás, percebo que não aprendi nada desde então.

Começou a escrever em 2008 para fugir de uma rotina massante no galinheiro e descobriu que era bom naquilo. Ou pelo menos achava que era, já que nunca conseguiu dar nenhum beijo na boca por seus textos. Dizem por aí que continua virgem, mas ele nega.