Momento histórico inútil no galinheiro: se Charles Darwin estivesse vivo, hoje ele completaria 200 anos.

Vou admitir que não tinha a mínima ideia que era hoje. Quem me avisou foi o Google e, como o Darwin é famoso por ter observado umas coisas legais, vou gastar um pouco do meu tempo falando dele.

A maior contribuição do naturalista britânico para a humanidade foram os estudos a respeito da evolução, publicados em seu livro “A origem das espécies” (1859). Pra quem matou as aulas de biologia (como eu), vale relembrar algumas coisas: antes de Darwin, as pessoas acreditavam no criacionismo das espécies; depois de Darwin, algumas pessoas continuaram a acreditar no criacionismo, mas elas passaram a ter mais uma opção na qual acreditar.

Até aí tudo bem, mas onde quero chegar com essa lenga-lenga toda? Ora, quero fazer a análise mais aguardada de todos os tempos: “Quem nasceu primeiro? O ovo ou a galinha?”

Imaginem eu, um padre e Darwin sentados ao redor de uma mesa, dividindo uma cerveja. Conseguiu? Eu também não, mas vamos seguir com essa loucura. O padre diz que, de acordo com o criacionismo, quem veio primeiro foi a galinha. Deus foi lá e a criou. Não dava pra Deus criar o ovo primeiro, ia faltar alguém pra chocar.

Darwin começou a gritar que discorda, que quem veio primeiro foi o ovo. Baseado em seu modelo evolucionista, a galinha atual foi originário de um ancestral que era bem diferente dela. Então a primeira galinha (que vem do ovo) surgiu do cruzamento de dois seres que pareciam com galinhas, mas não eram.

É nessa hora que eu, já meio alterado pela cerveja, subo na mesa e grito: Não foi nem a galinha nem o ovo, foi um frango! Se não tivesse o frango para acasalar com alguém, como teria um ovo? Aliás, aproveitando a presença do padre, anoto no guardanapo as minhas dúvidas pra ele mandar pro SAC divino:

“Queria saber se as galinhas gordas com celulite são obras do demônio ou se Deus estava de mal humor no dia em que as criou. A outra dúvida é dupla: A galinha gostosa do poleiro de cima foi uma perfeição que Você fez ou é uma criação do demônio para nos tentar?. Se for, mande meus parabéns pra ele, acertou em cheio na tentação.”

Agora é só esperar o padre fazer a parte dele e a resposta chegar. Isso se ele aguentar, pelas minhas contas já foram uns oito copos de cerveja. Enquanto isso, fico aqui na mesa tomando umas com meus “novos” amigos de divagações.

P.S.: Eu devo cantar parabéns pro Darwin na mesa do bar ou é muito mórbido?

Vou desativar meu antigo blog, o “Memórias de um frango”. Para isso, vou resgatar as crônicas que estavam postadas lá, dar uma repaginada e trazer para cá. Como deu para perceber, essa crônica surgiu de uma efeméride lembrada pelo Google. E nada melhor do que trazer a grande pergunta do universo para cá.

Começou a escrever em 2008 para fugir de uma rotina massante no galinheiro e descobriu que era bom naquilo. Ou pelo menos achava que era, já que nunca conseguiu dar nenhum beijo na boca por seus textos. Dizem por aí que continua virgem, mas ele nega.